quarta-feira, 3 de março de 2010

A Pérola do Atlântico


Uma catástrofe fustigou ontem a Madeira. Chuvas torrenciais e deslizamentos de terras provocaram o caos na ilha, deixando um rasto de destruição. Veja aqui a galeria com as fotos da tragédia.
O arquipélago da Madeira foi ontem atingido por um forte temporal, que causou inundações e deslizamentos de terras, transformando as ruas da capital da ilha (Funchal) em rios de lama. "Parecia um tsunami" pode ler-se num blogue de um brasileiro que vive na Madeira, e que viu a sua casa ser destruída por árvores que caíram e carros que foram arrastados.
O temporal de ontem terá sido o mais violento na Madeira desde 1993. Segundo o último balanço do Governo a catástrofe provocou pelo menos 40 mortos, 120 feridos e 240 desalojados.
A dimensão da calamidade na Madeira está em destaque nos media internacionais, desde a CNN ao El Pais.

O Mel


Os indivíduos adultos se alimentam geralmente de néctar e são os mais importantes agentes de polinização. As abelhas polinilizam flores de cores monótonas, escuras e pardacentas (todos os tipos de flores).
Uma abelha visita dez flores por minuto em busca de pólen e do néctar. Ela faz, em média, quarenta vôos diários, tocando em 40 mil flores. Com a língua, as abelhas recolhem o néctar do fundo de cada flor e guardam-no numa bolsa localizada na garganta. Depois voltam à colmeia e o néctar vai passando de abelha em abelha. Desse modo a água que ele contém se evapora, ele engrossa e se transforma em mel.
A abelha tem cinco olhos. São três pequenos no topo da cabeça e dois olhos compostos, maiores, na frente.
Uma abelha produz cinco gramas de mel por ano, para produzir um quilo de mel, as abelhas precisam visitar 5 milhões de flores e consomem cerca de 6 a 7 gramas de mel para produzirem 1 grama de cera.
Uma colmeia abriga até 80 mil abelhas. Tem uma rainha, cerca de 400 zangões e milhares de operárias. Se nascem duas rainhas ao mesmo tempo, elas lutam até que uma morra. A abelha-rainha vive até 25 anos, enquanto as operárias não duram mais de um mês e meio.
Apenas as abelhas fêmeas trabalham. Os machos podem entrar em qualquer colmeia ao contrário das fêmeas. A única missão dos machos é fecundar a rainha. A rainha voa o mais que pode e é fecundada pelo macho que conseguir ir até ela, esse voo se chama: voo nupcial. Depois de cumprirem essa missão, eles não são mais aceitos na colmeia. No fim do verão, ou quando existe pouco mel na colmeia, as operárias fecham a porta da colmeia e deixam os machos morrerem ao frio e à fome.

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

A Andorinha


A Andorinha é uma ave bonita, de côr normalmente preta e branca, e que só nos aparece pela Primavera.

Por vezes indica-nos o estado do tempo, quando voa rasteiro dizemos que o tempo não estará bom.

Costumam fazer os ninhos nos beirais das casas e são constituidos de palha e lama que transportam no bico.

Os ninhos normalmente são os mesmos da época anterior, e teem uma postura de 23 dias.

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

"Foi assim em 2009 o Carnaval da Figueira"

Foi com grande euforia e entusiasmo que os reis do Carnaval da Figueira, Ana Viriato e Helder Reis, foram recebidos na estação de Caminhos de Ferro, onde eram guardados por algumas centenas de pessoas, alguns foliões e a nova escola de Samba "Novo Império" . Em cortejo, os reis viajaram numa charrete até aos Paços do Município, onde nova multidão, juntamente com o presidente da autarquia, António Duarte Silva, e a escola de Samba "A Rainha", saudou a chegada de Ana Viriato e Helder Reis, duas figuras bem conhecidas dos ecrãs televisivos.
O cortejo seguiu pela avenida marginal, com um dia radiante de sol, com suas magestades e receberam os aplausos das pessoas ao longo da avenida, até ao Grupo Caras Direitas. E como será a folia este ano na Figueira da Foz?
Pode consultar mais informação em http://www.turismo-centro.pt

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Colar colagem ao Picasa 3


Apresentamos aos nossos leitores uma nova funcionalidade ao programa Picasa 3, que permite criar uma só fotografia através de uma compilação de várias imagens.

Para tere este programa basta pesquisar no Google a palavra Picasa 3, e, posteriormente fazer downloud.

A partir desse momento este software torna-se também muito útil para a visualização das fotografias que temos no nosso computador.

Ora vejamos a maravilha do programa:

domingo, 17 de janeiro de 2010

danças

Origem

Local e data – Alemanha Meridional e Baviera, no século XVIII.

Os acordes da Valsa trazem frequentemente à memória as recordações felizes e românticas das noites de Verão. Por ser associada a canções de amor tornou-se popular em casamentos.

História

A Valsa começou por ser uma antiga dança de folclore austríaco e do Sul da Alemanha.
Quando a Valsa foi introduzida em Inglaterra, no início do século XIX, escandalizou a sociedade. Houve grande reprovação por partes das gerações mais velhas, embora se constasse que a Rainha Vitória era uma dançarina de salão especialista em Valsa.

Subgéneros

Valsa vienense - quando a Valsa chegou a Viena, no século XIX, alguns compositores escreveram centenas de músicas que são ainda hoje mundialmente famosas, tal como o Danúbio Azul. A Valsa foi introduzida em Paris em 1775 e foi aí que adoptou a designação de valsa vienense. Era sobretudo dançada pela nobreza, por diversão em ocasiões festivas.
Valsa inglesa – ganhou importância após a primeira Guerra Mundial, tendo-se iniciado em Boston.

Música

A música da Valsa é lânguida, com melodias suaves e cadenciadas. É tocada num andamento de 30 compassos por minuto.

Técnica

Na Valsa as figuras básicas usadas na construção da coreografia baseiam-se num esquema em diagonal que resulta numa progressão suave e lenta em volta da pista de dança, no sentido contrário ao dos ponteiros do relógio.
A Valsa vienense exige ondulações graciosas e rápidas mudanças na velocidade do corpo. O primeiro tempo de cada compasso é dançado com uma forte oscilação do corpo, acumulando depois essa energia num movimento de vaivém em direcção ao centro das rotações, elevando-se nas pontas de ambos os pés durante o segundo e terceiro tempos do compasso da música.
A Valsa Inglesa é uma variação mais lenta da Valsa vienense, mantendo o compasso 3 / 4. Baseia-se em movimentos e deslocamentos de rotação e translação.

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Natal

O Natal é um dia diferente por proporcionar a união da família.
Chegam a deslocar-se de milhares de quilómetros para matar saudades da família e amigos.
Também é bonito pela variedade das côres e luminosidade que há nas ruas e montras dos estabelecimentos.

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

aposénior

Convido todos os leitores a visitar o novo site da Aposénior.
Ora aqui vai, www.apojovi.com

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Aranha assassina

Há cada uma. porque raio de mania , algumas aranhas, depois de saciadas sexualmente, destróem e comem o seu macho. A natureza animal tem muito que se lhe diga. Por isso é preciso ter muito cuidado com o bicho.

domingo, 8 de novembro de 2009

Seringas de vidro

O importante éra o casar o corpo com o êmbolo
Estavamos no ano de 1968, em Março, quando iniciei a minha atividade de Enfermeiro, nos H.U.C.
Tempos de alguma dificuldade, que, comparado com os tempos de hoje, devido ao avanço da tecnologia e ainda bem, tudo facilita, parece que estavamos no 3º mundo. As seringas éram de vidro e no fim da administração do medicamento tinhamos que as lavar para serem esterilizadas num ebolidor " por água a ferver durante 10 mts." O pior éra quando os números da seringa ou do êmbolo desapareciam, tinhamos alguma dificuldade em unir os elementos, já que se esteril. várias péças e se houvesse folga entre os elemento fácilmente se depreende que haveria desperdício do medicamento, com prejuízo para o Doente.
E as agulhas que eram de metal, no fim da adm. da medicação, também tinhamos que as lavar e ver se estavam rombas, caso estivessem, havia lixa para as por de novo ao fininho "mais ao menos" e só depois é que íam a esterilizar, enfiadas numa compressa e colocadas no mesmo local das seringas. E hoje, o que é que acontece, e ainda bem, dá-se a ingeção e deita-se o material fora.
Também Há a referir que de inicio as seringas éram de bico de vidro o que originava que se partisse com alguma facilidade quer no choque com outras ou na adaptação da agulha. Só mais tarde surgiram as ser. de ponta de metal, que éram melhores e que davam para atarrachar a agulha.
As sondas que havia para cateterismo vesical éram de Béquille, borracha ou plástico, as de Foley surgirm mais tarde. Quando um Doente estava em drenagem livre tinhamos que fazer uma derivação, extenção com tubo de borracha direta, da sonda ao recipiente que ía recolher a urina. Escosado será dizer que a sonda tinha que ser presa com adesivo.
E o que dizer das compressas, agora, elas surgem-nos, já empacotadas , esterilizadas e separadas por tamanhos, e como éra naquele tempo? O Enf. Chefe todos os meses pedia ou tinha direito a certo n.º de embalagens de gase e nós no tempo livre, tinhamos que cortar a gase conforme o tamanho das compressas que pretendiamos, dobravamo-las, e por tamanhos íamo-las colocando em círculo em caixas de inox, com orifícios na parte superior que seriam fechados depois da esterilização. O tamanho das caixas dependia do das compressas. Por vezes ao abrigo da Ergoterapia "ocupação do Doente pelo trabalho" os mesmos depois de ensinados é que faziam esse trabalho.
E o que dizer das camas dos Doentes, éram simples, de ferro, algumas éram divãs, os colchões no principio éram de palha depois começaram aparecer os de esponja.
Tanta coisa que havia para contar, toda uma vivencia de quase 38 anos de atividade profissional, tanta situação dificil mas que era recompensada com o salvamento , as melhoras ou no mínimo com o atenuar do sofrimento.
Não posso de maneira nenhuma esquecer os heróis, porque para mim o são, todos aqueles que éram sujeitos a tratamento de quimioterapia ou outro tratamento a tumor. Tanto sofrimento e... por vezes para nada mas, e, felízmente algumas vezes um sorriso nos lábios.
Para todos, nestas ou noutras condições as melhoras, e, que a ciência se desenvolva de forma a permitir a sua cura ou ainda mais a atenuação do seu sofrimento.

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

confusão criada por Saramago

A publicação do livro Caim, criou na opinião pública uma grande confusão, já que toca num ponto sensível como é a religião.
Para mim acho que é inusitado, já que temos de respeitar qualquer religião e questionar uma obra que é respeitada, e aceite, por milhões de pessoas, é preciso ter muito cuidado.
Numa coisa teve o mérito, a publicidade, já que as vendas dispararam, quer de um quer do outro.

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Primeiro dia de Aula

Todos estavamos ansiosos, por esta nova aventura de aprendizagem.

Passada uma semana e, depois de algum conhecimento adquirido ,estamos mais descontraídos para o trabalho que temos pela frente, lembro que estamos a construir blogs.